Soutien aux inculpés du 11 Novembre : Nouvelles du Portugal (en portugais)
[fr] [de] [en] [es] [it] [pt] [ru]
LES NOUVELLES DU COMITE
Nouvelles du Portugal (en portugais)

terça-feira 13 de Janeiro de 2009 , por soutien11novembre

No passado dia 11 de Novembro, depois duma operação policial com 150 polícias antiterroristas, 1 helicóptero, cães – polícias (e também dezenas de jornalistas), foram detidas vinte pessoas em quatro locais de França (Paris, Rouen, no Este, e uma pequena aldeia do centro chamada Tarnac, onde algumas delas moram numa quinta comunitária), tendo ficado 10 detidas para interrogatórios. Actualmente*, *9 pessoas estão a ser acusadas, sem provas, de "associação de malfeitores" e "terrorismo" por alegadas sabotagens nas linhas do T.G.V,

permanecendo duas em prisão preventiva.

A questão de Tarnac não é um erro judicial. Não apenas, pelo menos*. *É uma ilustração, a mais flagrante por ser a primeira, daquilo que se tornou a lei no momento do antiterrorismo. Onde o estado de excepção deixa de ser uma profecia para se tornar efectiva e visivelmente o regime em que vivemos. E claro que o facto de serem acusados de "terrorismo" faz parte de uma estratégia estatal para os isolar e os separar do resto da sociedade. Quem deseja apoiar pessoas que querem espalhar o terror? É, também, uma maneira de alimentar ainda mas o medo estrutural relativamente ao mundo do Capital e de aparecer como o único protector. "Não tenham medo dos terroristas (ou dos imigrantes, dos jovens, dos sem tecto, dos ladrões…), estamos aqui para vos proteger", diz o Estado. Nos tempos actuais, quando a democracia já não faz sonhar muita gente, perante a ideia de que o principal objectivo da vida é trabalhar e comprar mercadorias - o que já vem a ser questionado tanto na teoria como na prática - quando a crise já não é só económica mas também ecológica, ética, social - para usar o vocabulário da sociologia –e parece cada vez mas incontrolável, o Estado tem de apertar o controlo das pessoas à sua volta.

Por toda a França e noutros países, foram criados comités de apoio. Existe uma proposta do comité de apoio de Tarnac (www.soutien11novembre.org) no sentido de organizar, durante dez dias, de 15 a 25 de Janeiro, o máximo de iniciativas, concertos, projecções, debates, com o objectivo de não deixar esta questão cair no esquecimento, para que sejam reavaliadas as acusações que caem sobre os nossos companheiros e também para que sejam libertados os que se encontram presos. Isto permitirá igualmente anunciar e preparar uma grande manifestação nacional para dia 31 de Janeiro, em Paris.

Aqui em Portugal, prevemos que seja organizado :

DIA 16 – 21H DEBATE no CENTRO DA CULTURA LIBERTÁRIA, ALMADA, (Rua Cândido do Reis, 121, 1º Dto – Cacilhas, ateneu2000@yahoo.com)

DIA 21 – 21h30 CONVERSA na LIVRARIA GATO VADIO, PORTO (Rua do rosário, 281 – gatovadio.livraria@gmail.com)

DIA 24 – 13 h ALMOÇO­/CONVERSA e 16H CONCERTO (com *Gates of Hell*, *Howling Gale *e *Slaves to Rage* – Metal) na CASA VIVA, PORTO (Praça Marquês de Pombal, 167 – casaviva167@gmail.com)